júri

fábio rodrigues filho

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

iago cordeiro ribeiro

estuda cinema na UFRB e pesquisa preservação no audiovisual, tendo feito parte dos projetos Narrativas em Fluxo (2015) e Filmografia Baiana (2017). Trabalha com fotografia, sonorização e montagem; em 2015 realizou o curta documental "Obra Autorizada" (2016); com o coletivo Feito a Facão, do qual faz parte, participou da realização dos curtas-metragens "Fervendo" (2017, Camila Gregório), "admin/admin" (2017, Feito a Facão), "Ricochete" (2018, Maria Clara Arbex) e "Dupla Jornada" (2018, Camila Gregório).  

larissa leão

graduada no curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), diretora artística dos projetos Mulheres do Paraguaçu e Cineclube Eldorado, e desenvolve suas criações artísticas a partir do diálogo entre o corpo, o território e o audiovisual.​

É diretora, performer e montadora dos vídeos “Vidança” (2019 – em processo) e “Cartografia Afetiva” (2018). É assistente de direção de arte do filme “Ilha” (Dir. Ary Rosa e Glenda Nicácio / 2018) e trabalhou na equipe de Direção de Arte dos filmes “Café com Canela” (Dir. Ary Rosa e Glenda Nicácio / 2017) e “Pinta” (Dir. Jorge Alencar / 2012).​

É cineclubista e integrou a equipe do Cineclube Mário Gusmão – projeto de pesquisa e extensão do curso de Cinema e Audiovisual da UFRB – de 2015 a 2017, realizando a curadoria de mostras cinematográficas com um viés sócio-político, como a Mostra Permanente de Resistências (2017), Mostra TransÁfricas (2015) e Mostra Fernando Coni Campos (2015).

tiagho araújo

Pernambucano, Geógrafo, Bacharel em Cinema pela UFRB e Mestrando em Crítica Cultural pela UNEB. Foi Coordenador de Produção do telefilme O milagre dos
Pássaros, fez parte da equipe de arte da novela Velho Chico e dirigiu e montou o curta Aviso Prévio. Como arte educador ministrou no quilombo do Iguape um curso que deu origem ao curta Mulheres do Iguape realizado por moradores locais. Esteve presente na organização das primeiras edições do CINE VIRADA na cidade de Cachoeira, onde já exerceu as funções de produtor, curadoria e Júri. Atualmente se dedica à pesquisa da crítica cinematográfica, da memória audiovisual nacional e principalmente baiana e encontra-se na rede estadual de ensino da Bahia, onde busca estabelecer pontes entre
os jovens e a produção audiovisual brasileira.

2019. dois4dois filmes

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram