MESA 1 - Descentralização do cinema no nordeste brasileiro

04/05 - 14h as 17h - Centro Cultural

A mesa de discussão contará com profissionais de cinema/audiovisual do nordeste. Pretende promover a discussão a respeito das possibilidades de realização, produção e educação em cinema nas regiões afastadas dos centros no nordeste brasileiro, especialmente no estado da Bahia.

Gláucia Soares

Cineasta e artista visual, se formou em jornalismo e cursou cinema na Universidade Federal Fluminense (UFF/RJ) e pós-graduação em Audiovisual na Universidade Federal do Ceará (UFC/CE). Trabalha com cinema desde 1994 e participou de mais de 40 curtas e 20 longas em diversas funções como montagem, continuidade e assistência de direção. Dirigiu os curtas “Águas de Romanza” e “cidade desterro”. Implantou e coordenou a Escola de Audiovisual da Vila das Artes (Prefeitura Municipal de Fortaleza-CE) por 3 anos. Participou do coletivo Alumbramento desde o início até 2009 e foi mediadora na Bahia do projeto Inventar com a diferença (UFF/RJ) em 2014.

Há oito anos mora em Rio de Contas localizada no sul da Chapada Diamantina onde, além de trabalhos em audiovisual atua como produtora cultural no Espaço Imaginário e desenvolve projetos que se relacionam com os moradores e os espaços públicos da cidade como Largo Jardim, o festival Rua dos Inventos e os projetos Refazeres e corpo-natureza-memória.

Kennel Rógis

Kennel Rógis é Administrador, Cineasta, Roteirista, Diretor de Fotografia, Produtor Cultural e gestor da Gravura Filmes. Foi monitor do projeto ViAção Paraíba (2008 - 2015), da Universidade Federal da Paraíba, atividade reconhecida como principal impulsionador de sua carreira. Em 2011 lançou "Travessia" curta-metragem aprovado no Edital Microprojetos Mais Cultura para o Semiárido Brasileiro - Governo Federal, com este documentário participou de vários festivais de cinema pelo país conquistando 9 prêmios. Ainda em 2011 idealizou e coordenou o Festival Curta Coremas, evento que se consolidou como um dos maiores festivais de cinema do Nordeste. No ano de 2013 lançou o curta metragem "Sophia", sendo exibido em importantes festivais nacionais e internacionais e tendo conquistado mais de 30 prêmios, entre eles o Troféu Cine França Brasil de Melhor Curta Nacional 2014, concedido pelo governo francês no Curta Brasília, o qual lhe rendeu o convite para uma sessão especial na Cinemateca Francesa, em Paris no ano 2015. Vencedor do Prêmio Vivo de Melhor Videoclipe no Festival de Clipes e Bandas 2016, em São Paulo. Ainda em 2016 selecionado para o Los Angeles Brazilian Film Festival, levando "Sophia" a Hollywood. Ministra oficinas de linguagem e realização cinematográfica pelo país apostando que muitas pessoas precisam ouvir, refletir e acreditar na possibilidade do cinema quanto expressão de suas culturas. Trabalha também na cobertura audiovisual de eventos e festivais de cinema.

Alexandre Soares

Diretor dos festivais Curta Taquary, Criancine e Mostra Poesia na tela. Estudou Roteiro e Curadoria, gestão e Network de festivais de cinema na EICTV (Cuba). Produz o Caravana Criancine que promove oficinas audiovisuais para jovens e crianças. Diretor da Taquary Filmes.  Produtor Executivo de Repulsa  de Eduardo Morotó (35º BISFF – Coreia do Sul, 27º Curta cinema, 21° Tiradentes), coproduziu os curtas Fogo Pagou (Prêmio Itamaraty no Kinoforum) e Capela (melhor filme Mostra Sertões - em Triunfo) ambos de Ramon Batista e produtor associado de A moça que dançou com o diabo de João Paulo Miranda Maria (Menção honrosa no 69º Festival de Cannes). Em longas trabalhou na trilogia cinza de Taciano Valério, como produtor executivo/dir. de produção de Ferrolho (Mostra Aurora 16ª Mostra de Tiradentes) e Coprodutor de Onde Borges tudo vê (Melhor filme no II Festival Lume) e Pingo D’água (Competição no 47º Festival de Brasília). Produtor Executilvo da Série de TV Giga (Lume Channel) Colaborou com a curadoria dos festivais internacionais: Thessaloniki LGBTQ int film festival (Grécia) Hacelo Corto (Argentina), Antofadocs (Chile) e Muestra Polo Sur (Chile).

MESA 2 - Perspectivas de produção do cinema contemporâneo

03/05 - 14h as 17h - Centro Cultural

Contará com profissionais de cinema/audiovisual da Bahia e pretende promover a discussão a respeito das possibilidades, dificuldades, urgências e temáticas na realização/produção do cinema na atualidade, em especial na Bahia. Essa mesa de discussão será mediada por representantes da equipe de curadoria do Festival Mimoso de Cinema.

Hanna Vasconcelos

Hanna Vasconcelos é graduanda do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncado da Bahia e é bolsista do grupo PET Cinema, onde desenvolveu pesquisa sobre a representação da maternidade no cinema da diretora Naomi Kawase, ministrou oficinas de audiovisual para estudantes da rede pública de Cachoeira e atualmente trabalha num projeto de ação cineclubista no Colégio Estadual Padre Alexandre Gusmão do Campo. Também no grupo PET Cinema trabalhou na produção do V CineVirada – Festival de Cinema Universitário e na Mostra ManduCA de Cinema Infantojuvenil em Cachoeira. Durante o VIII CachoeiraDoc escreveu críticas de sessões para a revista CineCachoeira. Dirigiu o curta-metragem Projeto Espelho, trabalhou como produtora no curta-metragem Inflamável, e como continuista e assistente de produção no curta-metragem Casulo.

Fabio Rodrigues Filho

Coordenador e designer do Cineclube Mário Gusmão. Tem interesse na crítica e programação em cinema. Estudante de Comunicação Social no Centro de Artes, Humanidades e Letras/UFRB, onde é membro do grupo de estudos Cinema e Pensamento. Faz parte do núcleo de comunicação do Cineclube Tela Preta. Idealizou e é um dos curadores da Mostra Performance Negra no Cinema Brasileiro. Participou da equipe de curadoria da 2° Mostra de Cinema Contemporâneo do Nordeste. No CachoeiraDoc (2017) integrou o júri-jovem e a equipe do “Cinema em Vizinhança”, projeto de sensibilização vinculado ao Festival. Foi bolsista de extensão do projeto “Documentário nas Escolas” (Pibex/UFRB 2016).

Paula Gomes

Paula Gomes faz parte do coletivo baiano Plano 3 Filmes, onde dirigiu e produziu mais de quinze projetos. Seu filme mais recente, "Jonas e o Circo sem Lona", teve sua world première no IDFA e foi exibido em mais de 20 países, recebendo prêmios como o Prêmio do Público do Festival de Toulouse e Melhor Filme do Festival MiradasDoc. Paula atualmente trabalha na finalização do longa de ficção "Filho de Boi", enquanto se prepara para a filmagem da série de TV "Boi Bandido".

Thamires Vieira

Thamires  Vieira é realizadora audiovisual, graduanda em Cinema na UFRB.  Integra o coletivo TELA PRETA; tem  experiências em Produção Cultural e Produção de Cinema, dentro do cenário de produção participou de curtas e longas  metragens  onde se destacam:  Milagre dos Pássaros (2012)  A Morte do Cinema ,Café com Canela (2017)  As Melhores Noites de Veroni (2017)   Ilha (lançamento). Atualmente  Dirigiu  com Larissa Fulana de Tal a serie  DIZ AI - do Canal Futura que vai ao ar em abril  de 2018 realizada pela  produtora Rebento onde é sócia.

MESA 3 - Cinema e educação

05/05 - 14h as 17h - Centro Cultural

Contará com profissionais do nordeste que trabalham com cinema e educação em diferentes perspectivas, com o objetivo de pensar e discutir possibilidades a respeito da temática. A mesa será direcionada para educadores do município de Luís Eduardo Magalhães e também será aberta para o público em geral.

Anna Andrade

Produtora cultural e realizadora audiovisual, bacharel em produção cultural com especialização em gestão de projetos. Atua nas áreas de música e literatura desde 2009 e desde 2014 trabalha no audiovisual, na produção e produção executiva de curtas e longas-metragens, tradução e legendagem, distribuição, elaboração de projetos, produção de atividades de formação. Atualmente integra a diretoria colegiada da ABD-PE/Apeci – Associação Brasileira de Documentaristas de Pernambuco / Associação Pernambucana de Cineastas, atua na direção de produção do projeto Cartas ao Mundão - Oficina de filme-carta para adolescentes sob Medidas Socioeducativas e está finalizando distribuindo seu primeiro curta metragem, "Entremarés", recentemente finalizado.

Daiane Silva

Mestra em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia. Atuou como pesquisadora do Longa Metragem Diários de Classe da cineasta Maria Carolina (Lanterninha Produções), na assistência de produção do Longa-Metragem “Ilha” (Rosza Filmes), na pesquisa do projeto audiovisual “Anastácia: Mulheres Negras que Não se Deixaram Escravizar” (Segredo Filmes) e do curta-metragem Uníssono (Vogal Imagem), além da Assistência de Direção do curta-metragem Menino do Cinco (Vogal Imagem). Foi educadora da Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia e Coordenadora Pedagógica do Projeto Lanterninha - Cinema e Educação Em Movimento e do projeto Diários de Classes - Cinema na Educação de Jovens e Adultos. Atualmente compõe a equipe da produtora Rebento Pilmes das realizadoras Larissa Fulana de Tal e Thamires Vieira no qual desenvolve trabalho de produção, pesquisa e consultoria para projetos que envolve cinema, audiovisual, cineclube e cinema e educação. 

Geilane de Oliveira

É bacharela em Cinema e Audiovisual pelo Centro de Artes, Humanidades e Letras da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (CAHL/UFRB). Atuou como Júri Jovem do VIII Cachoeira Doc - Festival de Documentários de Cachoeira e Júri Especial do XII Panorama Internacional Coisa de Cinema. Entre seus trabalhos, já roteirizou e dirigiu os documentários O rio que não seca (contemplado na VI edição do projeto Revelando os Brasis; encontra-se em fase de pós-produção) e Alternância (2017), foi assistente de direção do curta O foguete (2018), produziu o curta Banana (2017), o videoclipe Comento, curto e compartilho (2017) e o projeto fotográfico Imagens do Jacuípe (2014-2015), foi assistente de direção dos curtas Inferno (2014) e Aquele Trem (2014).

2019. dois4dois filmes

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram